terça-feira, 17 de novembro de 2009

RESENDES VENTURA

Resendes Ventura é o nome literário de Manuel Pereira Medeiros, que o criou para a sua escrita quando em 1968 saiu dos Açores, onde assinava como Manuel Pereira. Nasceu a 14 de Janeiro de 1936 na freguesia de Água Retorta, concelho de Povoação, na ilha de São Miguel, Açores, e reside em Setúbal desde 1970, onde continua a trabalhar na livraria que fundou, a Culsete, um dos pólos culturais relevantes da cidade. Aos 10 anos saiu da casa materna e foi estudar para o Seminário Episcopal de Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira. Foi no Seminário que despertou para a escrita, começando a colaborar em jornais e a escrever poesia. Em Agosto de 1959 foi ordenado padre, missão em que se empenhou até 1968, trabalhando como professor de Religião e Moral no Liceu Antero de Quental, em Ponta Delgada, até 1967. Em 1969, já em Lisboa, iniciou a sua actividade livreira na Livraria Nosso Tempo. Tem escrito inúmeros artigos, dispersos por jornais e revistas (Pensamento, Euntes, Correio dos Açores, Diário dos Açores, Correio da Horta, O Telégrafo, O Dever, A-Z, Missões, Livros de Portugal, O Setubalense, Actual, Jornal de Setúbal, entre outros) e tem colaborado com diversas estações de rádio onde já manteve rubricas fixas sobre livros (Rádio Pal, Rádio Voz de Setúbal, Rádio Azul). Tem escrito prefácios, textos de divulgação e alguns de polémica, num exercício consciente de cidadania. Títulos de poesia publicados: Passos de Viagem, Ponta Delgada, 1963; O Mudo Encanto (plaquette), Setúbal, 1987; Coisas Amadas, Setúbal, 1988; Das Ilhas o Grande Mar e os Longos Percursos do Ilhéu (plaquette), Setúbal, 1991; Mãe dAlma, Setúbal, 1993. Está representado nas seguintes antologias: Antologia Poética dos Açores, dois volumes, selecção de Ruy Galvão de Carvalho, Angra do Heroísmo, 1979; Setúbal Terra de Poetas e Cantadores, Setúbal, 2001; A Serra da Arrábida na Poesia Portuguesa, Setúbal, 2002. Em Papel a Mais, o presente título de Resendes Ventura, convivem textos poéticos, textos biográficos, textos de opinião, textos de digressão literária e de especulação filosófica, lado a lado com textos de alguns escritores amigos: Armando Côrtes-Rodrigues, Avelino de Sousa, Eduíno de Jesus, Fausto Lopo de Carvalho, José Ruy, Luísa Ducla Soares, Maria Alberta Menéres, Maria de Lourdes Belchior, Matilde Rosa Araújo, Onésimo Teotónio Almeida, Sebastião da Gama, Silva Duarte, Urbano Bettencourt, Urbano Tavares Rodrigues, Teresa Rita Lopes.