terça-feira, 20 de outubro de 2015

Workshop de Aguarela: Apresenta-se o Pintor Nuno David

 

 

image

 

Nuno David é natural de Angola e vive em Setúbal há cerca de 40 anos.
Estuda Artes Plásticas desde 1967, ano em que expõe pela primeira vez.
Na sua pintura utiliza os mais diversos materiais e técnicas como óleo à espátula e pincel, acrílico e pastel, mas é sobretudo na aguarela que mais gosta de se exprimir.
Tem participado em exposições coletivas (cerca de 35) desde 1986, e tem feito exposições individuais (cerca de 16). Destacam-se as exposições realizadas na Igreja de Santiago, em Palmela (1997), na Galeria de Arte da Casa de Bocage, em Setúbal (1998), no Museu de Arqueologia e Etnografia, em Setúbal (1999), no Museu de Setúbal, Convento de Jesus, (2000) na Biblioteca Municipal de Setúbal (2010), no Instituto Piaget, em Almada (2001), no Palácio do Vimioso, na Universidade de Évora (2001), na Direção Regional do Ambiente dos Açores, na Horta (2004), na Galeria de Arte “Os Sobrinhos do Senhor Capitão”, em Azeitão, (2005 e 2008), no Hospital da Luz, em Lisboa (2009), no LNEG/INETI, em Lisboa (2009), e no Hospital de Santiago, em Setúbal (2010). Tem pintado várias vezes ao vivo em manifestações multidisciplinares.
Está representado em diversas coleções institucionais e particulares em Portugal e no estrangeiro, designadamente em Espanha, Itália, Brasil, Japão e Áustria, destacando-se a existência de três obras de sua autoria no acervo de arte do Museu da Presidência da República, em Lisboa, sob temática alusiva a Os Lusíadas. Está ainda presente nos acervos do Museu de Setúbal, Convento de Jesus, no Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, na Universidade de Évora, na Secretaria Regional do Ambiente dos Açores, na Horta, na Câmara Municipal de Palmela, no Instituto Politécnico de Setúbal e no Clube Setubalense.
Relativamente à obra gravada, salientam-se os trabalhos que deram origem à medalha comemorativa dos 150 anos do Clube Setubalense.
Em 2011 produz uma obra alusiva ao Portinho da Arrábida, uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal, por ocasião do lançamento em Setúbal da revista Itinerante, número 5 (maio, 2011), trabalho este que, por razões ligadas ao seu passado pessoal e profissional, executou com redobrado interesse e muito prazer.
Está a produzir para a GDA (Gestão dos Direitos dos Artistas, CRL,) em cooperação com a Galeria de Arte “Os Sobrinhos do Senhor Capitão“, trabalhos em aguarela alusivos aos mais destacados Teatros Nacionais, nomeadamente o Teatro D. Maria II e o Teatro S. Carlos, em Lisboa, o Teatro S. João no Porto, o Teatro Garcia de Resende, em Évora, o Teatro Circo de Braga e outros, como os de Lamego, de Faro e de Ponta Delgada, nos Açores.
Tem ilustrado diversas obras, entre elas os romances A Especiaria e Tambwé, ambos da autoria do escritor angolano António Oliveira e Castro, editados pelas editoras Guerra e Paz e Gradiva.
Ao longo dos últimos dez anos tem realizado workshops na técnica da aguarela no Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, entre outros locais, e tem orientado cursos de pintura a óleo e a aguarela em espaços culturais da cidade, destacando-se os realizados em de 2002, 2003 e 2004.
Trabalha de momento em vários projetos que conta apresentar a partir de 2016.

 

CULSETE, A PAIXÃO DA LEITURA

 

Sem comentários:

Enviar um comentário